Universidade do Minho  

           
 
  Autenticação/Login
 
homepage
mapa do site
como chegar
contactos
   
  imprimir
 

 

ÍNDICE
Alto Minho e Galiza. Estudos Históricos

Nota Prévia do Reitor da Universidade do Minho
Nota Prévia do Presidente da Câmara Municipal de Melgaço
Alto Minho e Galiza na obra de José Marques por José Viriato Capela 
Um espaço fronteiriço mas de Vizinhança por Rámon Villares
Entre el Limia y el Miño en la Edad Media por Fernando López Alsina

Colectânea de textos do Prof. José Marques

Capítulo I Alto Minho na História Nacional
Relações da Metrópole de Braga com a Monarquia e a hierarquia Hispânica             
Acção governativa de D. Afonso V durante a visita ao Minho, em 1462                  
A diocese de Ceuta na solicitude pastoral de D. Frei Justo Baldino (1478-1493)    
D. Frei Bartolomeu dos Mártires e a Comenda de Aboim da Nóbrega      
Contestada visita de D. Frei Bartolomeu dos Mártires a Fiães - 1572   

Capítulo II Horizontes Culturais e Religiosos
A Realidade da Igreja no tempo de S. Teotónio   
S. Teotónio e a cultura no século XII   
Segundo milénio cristão no Alto Minho. Obscurantismo ou cultura?             
Dois humanistas italianos no Alto Minho, no século XV            
L`escriture de Franceso Cavalcanti, une nouveauté au Portugal 1482         
Relações galaico-minhotas  
A Universidade de Salamanca e o Norte de Portugal, nos séculos XV-XVII     
S. Tiago na Sermonária
A Senhora dos Milagres de Cambeses, no contexto do culto mariano do século XVI     
O Cartulário de Fiães foi maltratado - Recensão crítica    

Capítulo III Territórios, economias e fronteiras
O censual do cabido de Tui para o arcediagado da terra da vinha 1321   
O Mosteiro de Oia e a Granja da Silva no contexto das relações Luso-Castelhanas dos séculos XIV-XV  
A Peste de 1362, na Diocese de Tui  
A fronteira do Minho, espaço de convivência galaico-minhota, na Idade Média         
Relações fronteiriças luso-castelhanas nos séculos XIX-XV         
Relações económicas do norte de Portugal com o reino de Castela, no século XV
Barco do Mosteiro de Alcobaça, no Porto de Valença - 1240     
As Pesqueiras do Mosteiro de Paderne em 1770
Produtos Melgacenses na Gastronomia Medieval

Capítulo IV Patrimónios e instituições eclesiásticas e paroquiais
O Mosteiro de Bulhente não existiu
A origem da capela de Alcobaça (Fiães - Melgaço) Resolução de um antigo problema
Mudança de regime abacial em Fiães 1601
Património e rendas do Mosteiro de Fiães, nos finais do século XVIII
O cartório e a livraria do Mosteiro de Paderne, em 1770
O Mosteiro de Paderne, em 1770

Capítulo V Vilas, Póvoas, Paróquias, Forais e Concelhos
A Vila rústica de Deão, em 1284
A póvoa dionisina de Caminha - 1284
No V centenário do Foral Manuelino de Melgaço - 2013
O sentido das comemorações do VI Centenário da tomada do castelo de Melgaço aos Castelhanos
Foral e Concelho de Paredes de Coura (V Centenário)
A Capela aberta de S. Tiago de Barbeita - Monção
A Defesa do Convento de Santo António das Carvalhiças e dos seus bens - Uma questão que apaixonou o concelho de Melgaço
Um Processo Judicial no Couto de Fiães - 1737
Primórdios da Freguesia de Cousso. Revisão de um problema
Usos e Costumes de Rouças, São Paio, Fiães e Parada do Monte


 
  © 2022 Universidade do Minho  - Termos Legais  - actualizado por CMM Símbolo de Acessibilidade na Web D.